domingo, 28 de junho de 2015

SOM EM MIM



Este é o som...
Do poema que escrevo nas gotas da chuva
Num grito violento...
Num doce sussurro....

Este é o som...
Da minha voz num dia perfeito de Sol
que me aquece a pele e me faz sonhar ...

Mesmo quando estou triste e cansada...
e as palavras soem

tristes, chorosas...


POEMA A SER PUBLICADO NA COLECTÂNEA "SOM DE POETAS" DA EDITORA PAPEL D'ARROZ

quinta-feira, 25 de junho de 2015

PERDIÇÃO



Esta noite, vou deixar a luz acesa...
Como quando tinha medo do escuro
e não sabia como podia colorir as sombras
Ou sentir a frescura da brisa no meu corpo...

O corpo que agora desnudo tranquilamente...

Todos os meus gestos são agora tranquilos...
Seguros...
Se, às vezes, deixo que a sedução, 
a provocação transpareça no meu olhar...
É porque beijar-te...
Não é um sonho...
É uma perdição...


Poema de minha autoria publicado no livro "Entre o Hoje e o Amanhã" em 2011


segunda-feira, 22 de junho de 2015

A SEDUÇÃO




António continua seduzido.
Pela vida... Pelo prazer de a viver... Nas palavras... Nas emoções...
O que nunca antes compreendeu é um labirinto que tem que explorar...
É a paixão que se encontra escondida em qualquer momento da vida e que António nunca deixou que interferisse no seu percurso.
Será isto o Amor?” questiona. Abre a boca para perguntar, mas compreende que só ele pode encontrar a resposta.
Que poderá nunca encontrar, porque o Amor tal como a Vida vive-se.
Na sua forma mais simples...
No corpo... Na alma...
Nesse momentos que se fecham depois em memórias preciosas...


quinta-feira, 18 de junho de 2015

DESCONFIO




O Vento...
É sempre charmoso... 
Sempre galanteador...
Mas desconfio quando me beija os lábios e me jura amor eterno...



segunda-feira, 15 de junho de 2015

SENSAÇÃO




Fala-se de café
Do cheiro forte do café
Do sabor intenso,
audaz e provocador,
que se mistura na saliva...
E o que dizer da sensação de calor
que nos invade...
E que nos faz sentir,
por um momento,
perfeitos?


quinta-feira, 11 de junho de 2015

O MUNDO DA LUA




I
LUA SURREAL

…..Para onde fujo quando a dor se torna insuportável e nada mais há a dizer.
Apenas esta vergonha do Mundo real....Como se me sentisse culpada de existir...
No Mundo da Lua, não tenho nome. Não importa o que faço nem o que digo...
Posso, apenas, existir e escorregar no tempo e nas memórias das cores da Lua.
O branco....O preto...Um convite, um desejo que quero viver....
Num turbilhão, num retrato que reconheço, porque existo.
Não é uma fantasia...Sei que não o é, mesmo que os outros o afirmem e desistam.
Dizem que a Lua é uma princesa encantada. 
Que teve um amor proibido como eu e foi repudiada e condenada a viver nas sombras.
Mas as sombras pintam-se e continua-se a amar. Procura-se no Vento sinais de paixão. 
Pela vida, pela vontade de a conquistar, de fazer parte dela.
Intensamente...
Continuo a ser estranha, louca...Surreal como as telas que pinto e não entendes.
Porque estás preso; não sabes como soltar a alma e vaguear. E amordaças-me!
No reino da senhora da noite, sou o meu próprio desafio.

II

LUA CHEIA

….Espero pela Lua Cheia.
Pelo fim do exílio das palavras que sempre venerei. 
Em que deixarei de percorrer caminhos e labirintos, vazia, gelada.
Não posso enganar o tempo. Não posso fugir do brilho da Lua.
Quero reencontrar-me com o silêncio tranquilo da tua pele e sonhar acordada.
A Lua, a Senhora da Noite, deixa-me.
Porque ninguém a desafia, ninguém trai segredos.
Somos cúmplices nos cheiros, nos desejos, nas paixões que nos embriagam.
Somos a prata derramada nos corpos suados dos amantes.
Volto, então a escrever poemas de louvor à Lua... Onde ninguém diz que sou estranha...

NOTA:

Um dos primeiros textos escritos para a editora Lua de Marfim e publicado em 2013 na sua colectânea "O Mundo da Lua"

segunda-feira, 8 de junho de 2015

UMA VEZ QUE SEJA



Esta é uma história de amor...
Um amor tão intenso que até as palavras empalidecem...
Um amor que vive despido de preconceitos... Arrojado e egoísta...
Mas tão fugaz e poderoso que seria pecado não o sentir...
Uma vez que seja na vida....